Assim que acabou a Expedição Atacama 2013, comecei a pensar em qual seria meu próximo destino pela America do Sul. É, depois que fiz a primeira longa viagem de moto não consegui mais parar, fiz varias viagens pelo Brasil e comecei a pesquisar qual seria meu próximo destino internacional. Concluí que teria 2 opções principais, Ushuaia ou Machu Picchu, mais 2 destinos sonho de consumo de qualquer motociclista que gosta de longas distancias e grandes desafios. Assim, como teria apenas 20 dias de férias, optei por Machu Picchu um dos principais destinos turisticos da América Latina, Patrimonio Cultural pela Unesco e uma das 7 maravilhas do mundo. A partir daí, iniciei minhas pesquisas e o planejamento da viagem, que levaria mais de 4 meses até o dia da partida...

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Planejamento da Viagem

Sempre quando planejo uma viagem, primeiro defino o destino final e depois começo a desenhar o roteiro até ao destino final. Desta vez seria Machu Picchu passando pela Bolivia para conhecer o Salar de Uyuni, Estrada ds Morte e também o lago Titicaca. No Peru os principais pontos seriam também o Lago Ticaca, Vale do Colca, Linhas de Nasca, Cusco, Vale Sagrado Inca e Machu Picchu.

Existiam algumas opções de rota:

A primeira e mais comum seria sair do Brasil por Foz do Iguaçu, seguir pelo norte da Argentina, passando pelo Chaco e depois de Salta subir sentido Bolivia pela RN9. Este caminho foi logo descartado pois já havia feito este mesmo trecho na viagem de 2013 e tento não repetir estradas que já passei em minhas viagens anteriores.

Outra opção seria pegar a mesma rota na Argentina até Salta, cruzar para o Chile pelo Paso de Jama ou Paso Sico e dali seguir para o norte passando por São Pedro de Atacama, Iquique e Arica, entrando no Peru por Tacna ou mesmo para a Bolivia. Rota também descartada pois novamente pegaria um trecho muito longo já conhecido.

No final decidi por uma rota mais desafiadora e desconhecida que seria sair do Brasil por Corumbá-MS, percorrer a Bolivia até Uyuni, subir em direção a La Paz e dali entrar para o Peru pelo Lago Titicaca. A volta seria entrar de volta no Brasil pelo Acre e assim descer até São Paulo. Muitos motociclistas fogem da Bolivia pelo risco de assaltos, policia corrupta, condições das estradas e a dificuldade de comprar gasolina, o que no meu caso me deixavam ainda mais instigado realizar a viagem por esta rota.

A partir daí comecei a montar o roteiro, buscar informações sobre a condição das estradas, postos de gasolina, documentação necessaria para rodar na Bolivia e no Peru além de estudar detalhadamente cada cidade e pontos turisticos em cada trecho da expedição.

Para isso usei muito a internet, google, blogs, facebook, consulados, despachantes e outros motociclistas que já tinham feito este trajeto ou parte dele.

Para percorrer todo o roteiro saindo e retornando a São Paulo, precisaria de 28 a 30 dias. Como não tinha todo este tempo disponivel decidi que sairia de moto de SP e deixaria a moto na volta em Rio Branco e voltaria de avião, a moto viria de caminhão. Assim conseguiria ganhar uns 5 dias. Desta forma a viagem teria no total 23 dias e com os 20 dias férias conseguiria realizar a aventura.

Os motivos que dicidi sair de São Paulo pilotando e deixar a moto em Rio Branco são 2: o primeiro é que deixando a moto para ser transportada no final, eliminaria qualquer risco de atraso/problema no transporte da moto o que poderia atrapalhar a viagem, o segundo é que frete de Rio Branco para SP é mais barato do que o trecho contrário, de SP-Rio Branco.

Desta vez não gastei muito tempo e nem dinheiro com o planejamento dos equipamentos/acessorios necessarios para a viagem pois ja tinha praticamente todos desde a ultima viagem. Apenas comprei uma bota de Off-Road para ter uma proteção extra para os pés e pernas já que pegaria alguns trechos mais desafiadores de Off-Road.

A data escolhida para a viagem foi novamente setembro e não foi uma coincidencia. A decisão da data levou em consideração a epoca de seca no Salar de Uyuni onde é possivel fazer o tour completo de 3 dias e o clima e as temperaturas são mais amenas nos 2 paises, com menos risco de chuvas/neve e ventos no Peru.

Segue abaixo o roteiro completo da viagem:


           No roteiro não estão destacados:
              - Salar de Uyuni
              - Reserva Eduardo Avaroa
              - Tiwanaku
              - Estrada da Morte
              - Vale do Colca (Chivay)
              - Vale Sagrado Peru
              - Machu Picchu

Nas fotos abaixo estao todos os trechos da viagem com as cidades que passei, as distancias, tempo de viagem alem da projeção de gastos com gasolina, comida e hospedagem e passeios:



Logo abaixo estao todos os hoteis que utilizei durante a viagem.Todas reservadas foram feitas pelo Booking.com, com exceção da Pousada Renascer em Assis Brasil e do Hotel La Casona em La Paz.

Ja sai de Sao Paulo com todos reservados mas voce pode reservar durante a viagem tambem. Acabei trocando de Hotel/cancelando a reserva do Hotel de La Paz que não me pareceu legal quando cheguei e ficava em uma rua bem sinistra. Troquei pelo Hotel La Casona que recomendo 100%, acho que é um dos melhores da cidade, bem localizado e possui um restaurante muito bom.

O Hotel de Puerto Maldonado também cancelei pois fui direto para Assis Brasil já na divisa do Peru com o Brasil, fiquei na Pousada Renascer, simples mas excelente e que também recomendo, com quarto e banheiro privativos, ar condicionado e um café da manhã justo.

Tento reservar hoteis que permitam cancelar a reserva sem custos/multas, que possuem internet e garagem para as motos, o que na bolivia e no Peru não é muito facil, pois os hoteis geralmente ficam no centro, os predios são antigos e não possuem garagem.


A moto escolhida foi a mesma da Expedição Atacama 2013, minha BMW 1200 GS 2008. Fiz uma revisão completa de 30.000km, troquei o pneu (usei um par de Metzeler Tourance), sempre saio com pneus zero pois assim não preciso trocar o pneu durante a viagem e menos chance de furar.

Lembro que a escolha da moto é pessoal e de acordo com as necessidades/condição de cada um, conheci pessoas que fizeram a viagem com big trails, customs, harleys, esportivas, 125cc até Honda Biz.

Depois da definição do roteiro comecei a preparar os documentos, renovei minha CNH, a PID (carteira de habilitação internacional), verifiquei os documentos da moto, passaporte, RG e a carteira de vacinação internacional com a vacina de febre amarela valida. Abaixo o checklist que utilizei na viagem:




GPS - Muito importante, ajuda muito na viagem mas aconselho alem do GPS tambem levar os mapas em papel. O GPS pode dar problema o mesmo nao funcionar bem em alguns trechos. O mapa em papel pode ser util. Usei algumas vezes durante a viagem, até porque gosto de confirmar a rota que aparece no GPS. https://buy.garmin.com/pt-BR/BR/cOnTheRoad-cMotorcycles-p1.html













SPOT - GPS via Satelite que possibilita que pessoas autorizadas acompanhem em tempo real, via google maps a evolucao da viagem e em caso de emergencia acionar resgate em qualquer lugar do planeta. http://la.findmespot.com/pg/shop/

RotoPax - É um galão de gasolina adicional. Aconselho levar um Rotopax de 2 ou 1.75 galoes. Em alguns trechos da viagem pode faltar gasolina em alguns postos ou mesmo pegar trechos longos sem postos de gasolina. Lembrando que a gasolina na Bolivia e Peru rende mais do que no Brasil, não possui adição de alcool e a altitude também ajuda a consumir menos. Minha moto na média rendia 25% Km/L a mais que no Brasil. http://home.rotopax.com/




Almofada AirHawk - Almofada de ar que ajuda no conforto em grandes viagens. Ocupa pouco espaço na bagagem e pode der inflada/desinflada com a própria boca. Segundo o fabricante dobra o tempo de pilotagem que o motociclista aguentaria - http://www.airhawk.net/
Filmadora - Levei 2 GoPro, mas existem varias marcas e modelos no mercado. Aconselho levar 2 pois nao e raro uma das cameras dar problema ou mesmo cair da moto ou quebrar no caminho. Uma pode ser fixada na moto e outra no capacete, como sugestão. http://pt.shop.gopro.com/


Em relação as malas, existe muita discussão entre quais são melhores para uma viagem como esta, as rigidas de plastico ou metal ou as flexiveis. Decidi levar as flexiveis pois acupam menos espaço e nao interferem tanto na aerodinamica da moto. Como iria passar por trechos de off-road mais pesado, salar e existia a chance de algum tombo, fiquei com dó de ralar ou estragar as malas de aluminio. As flexiveis são bem mais baratas e posso usar em qualquer moto depois. Desvantagem é que são menos praticas e seguras, pois precisa tirar da moto todos os dias e nao possuem fechaduras/cadeados.




Os documentos necessarios para a viagem e que levei sao os seguintes:

Passaporte/RG - Passaporte facilita os procedimentos das Alfandegas, e voce tambem pode carimba-lo em Machu Picchu, Lago Titicaca e Nasca. Sempre levo também o RG comigo.














CNH e PID - Permissao Internacional para Dirigir - A PID é o documento de habilitação valido internacionalmente, a CNH não é valida/aceita em varios paises.

http://www.detran.pr.gov.br/modules/catasg/servicos-detalhes.php?tema=motorista&id=161













Documento da Moto em nome do motorista. Caso esteja em nome de terceiros pode haver problemas na Bolivia/Peru.



Orden de Translado/Permiso - Documento necessário/exigido para a moto na Bolivia. Sem ele a moto pode ser apreendida sem direito de recuperação pelo proprietário:

Pode ser retirado na cidade de Puerto Suarez, logo após a fronteira e a Aduana da Bolivia. Pegar a Ruta 4 sentido Santa Cruz, aprox. 11Km a frente terá a entrada para Puerto Suarez a direita. Seguir nesta avenida por mais 1.5km até uma praça que fica a direita. A delegacia da policia fica enfrente a esta praça na Rua Antofagasta. - Coordenadas: 18°58'13"S   57°47'56"W





SOAT - Funciona como um DPVAT e é obrigatório para veiculos estrangeiros no Peru. Comprei em Puno e custou aproximadamente R$90,00 com validade para 30 dias. A segunda foto é o contato/endereço do despachante para emitir o SOAT, fica bem proximo da praça de armas, na rua que dá acesso a praça. Endereço. Jr. Deustua, 299 Puno.

https://www.lapositiva.com.pe/principal/seguros/soat-la-positiva/934/c-934





Para coibir a acao de policiais corruptos levei um trocado, 5 dolares, no bolso da jaqueta.

Durante a viagem fui parado 3 vezes pela policia, as 3 vezes na Bolivia e em nenhuma delas tive problemas. A primeira foi chegando em Santa Cruz de La Sierra em um posto policial, a segunda logo após Potosi, me pararam informando que estava acima da velocidade, mostrando a velocidade de 109km/h em um radar de mão mas logo me liberaram, a terceira logo após um pedágio, carimbaram a Orden de Permiso e em seguida fomos liberados.

Importante tambem fazer um seguro de viagem e um seguro saude. Existem varias opcoes no mercado, acabei fazendo um seguro com a GTA que é um empresa especializada neste tipo de seguro:

https://www.gtaassist.com.br/sitev2/home/
São Paulo-SP - (11) 3250-4511 / 0800-7734511
Av. Ipiranga, 318. Bloco B 16 andar cj 1601
Cep: 01046-010 - São Paulo - SP

Em relacao a roupas segue abaixo o que levei:

1 Capacete (aconselho o fechado/escamotiável)
1 Viseira Fume (adicional)
1 Macacao tipo Expedicao, geralmente feito de Cordura (nao recomendo de couro, nao protege do frio e esquenta demais no sol)
1 Bota Off-Road
2 Conjuntos Segunda Pele
1 Segunda pele para as maos
1 Balaclava
1 Luva (aconselho modelo que suporte frio e que seja impermeavel)
5 Camisetas (da propria viagem - Expedicao Inca 2015)
5 pares de meias
5 Cuecas
1 Tenis/Bota (aconselho levar uma bota de trekking tipo Timberland para uso durante os passeios no Salar, Machu Picchu e que também pode ser usada durante o dia nas cidades e a noite para sair/jantar - a bota aguenta mais as temperaturas extremas/geografia e suja menos)
1 Calca Jeans
1 Calca de trekking (Nilon/Poliamida/Tactel)
2 Bermudas
1 Malha
2 Jaqueta de frio
1 Bone
1 Par de Chinelos
1 Oculos Escuro

Além de tudo isso é importante comprar com antecedencia os tickets para Machu Picchu e também do trem que leva até lá. Como se tornou umas das 7 maravilhas do mundo está sendo muito procurada por turistas do mundo todo.

O site do governo do Peru que vende os ingressos está fora do ar, http://www.machupicchu.gob.pe/, então acabei utilizando este que achei muito bom http://ingressomachupicchu.com/. Os ingressos são bem caros, seguem os 3 tipos de ingressos disponiveis e os preços:




Os ingressos que dão acesso as montanhas que ficam ao lado de Machu Picchu são limitados a 400 pessoas por dia por montanha e são os que acabam mais rapido. A partir abril/2016 o acesso a estas montanhas estará proibido/fechado. A vantagem de pegar o ingresso com montanha é que voce terá uma vista de cima da cidade de Machu Picchu, mas terá que suar um pouco a camisa para chegar até lá, a subida exige um bom preparo fisico e proporciona excelentes fotos como as que costumamos ver de Machu PIcchu. A Montanha Huayna Picchu mais procurada, leva 45min aprox. para subir e por isso é mais procurada .Já a Montanha Machu Picchu leva entre 1:30h a 2:00hrs a ascenção, mais dificil mas com a melhor vista.

Não acredito que seja imprescindivel a subida as montanhas. Pra quem não quiser o desafio é possivel fazer praticamente as mesmas fotos da cidade de Machu Picchu.

Existem 2 empresas que fazem o trajeto de trem para Machu Picchu. A Peru Rail https://www.perurail.com/ e a Inca Rail http://incarail.com/. Existem varias opções de horarios, vagões com infraestrutura e serviços diferentes e saida de varias cidade como Cusco, Urubamba e Ollantaytambo. Os preços também são salgados na faixa de US$50 a US$385.00 cada trecho.

Todos os outros passeios que fiz durante a viagem como o tour de 3 dias no Salar de Uyui, visitas as ilhas no lago titicaca, vale do colca, voo sobre as linhas de nasca, tour por Cusco e Vale Sagrado podem ser reservados/comprados durante a viagem.

No Salar de Uyuni fizemos o tour de 3 dias com a agencia Quechua Connections, pois é a unica atualmente com guias exclusivos (não freelancers) e que falam varias linguas, os carros são novos, utilizam o Toyota Land Cruiser 4X4 para até 7 pessoas e ainda possuem um passeio de bicicleta no meio do Salar para quem quiser. Pagamos US$180.00 por pessoa, com 2 pernoites em hostels no meio do Salar e da Reserva, café da manhã, almoço e jantar.


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário